Ah, as pessoas…

Voltando aqui, como sempre digo, manter uma assiduidade nesse espaço é complicado, esse sábado poderia ter sido inspirado, mas me envolvi nos serviços aqui em casa, e aí não deu…

Mês de novembro iniciando e confesso estar ansioso pra que chegue logo dezembro, estou contando os dias pro encerramento das aulas, esse ano passou rápido (ah, todo mundo, quando chega por novembro, diz isso…) e logo vem Natal e Ano Novo.

Sei que ando de saco cheio de um monte de coisa, hipocrisia, falta de interesse, comodismo, pessoas que têm tudo e só sabem reclamar da vida. Vontade de mandar tomar naquele lugar não me falta, mas… é preciso cautela nas palavras, na maior parte do tempo, pra não ser mal-interpretado, pois já viu, quando tu não se torna incompreendido, sai da frente…

Eu não deveria me preocupar com o que as pessoas fazem, mas há vezes que me “contorço por dentro”. Mas vamos seguindo por aqui, minha intenção pra esse sábado à noite é compartilhar um texto com vocês, bem curto, mas bem direto, pra faze-los pensar um pouco no que fazem e pensam. Aliás, pensar não é algo que as pessoas andam fazendo muito ultimamente, tudo se deixam levar pela onda, muito maria-vai-com-as-outras…

Chega de papo, o texto é de Isaías Almada, intitulado “O inferno são os outros”

O inferno são os outros, por Isaías Almada

Segunda-feira: A Dra.Henriqueta acaba de atender a mais um de seus pacientes. Ela é pediatra e goza de prestígio na profissão. O paciente, um bebê de um ano de idade, deixa a sala no colo da mãe, que com expressão feliz prepara-se para pagar a consulta. “Quanto é?” pergunta a mãe. “A senhora vai precisar de nota?” dispara a secretária com seu ar profissional. “Vou” respondeu a mãe. “Com nota é setecentos reais e sem nota é quatrocentos e cinqüenta” “Nossa! E por quê essa diferença toda?” “É por causa do imposto de renda”… “Ah!”, exclamou a mãe.

Terça-feira: Reimilson é jornalista formado há pouco mais de três anos e conseguiu, até mais cedo do que pensava, trabalhar na redação de uma revista semanal, a Veja. Abriu uma ME em Cotia para pagar menos ISS nas notas fiscais que dava ao empregador pelo que recebia “oficialmente” como salário registrado em carteira. Recebia a diferença por fora.

Quarta-feira: dona Martha era separada do marido e tinha uma filha que se preparava para o vestibular. A pensão do marido não era suficiente para as despesas mensais. A filha ajudava com seu salário de secretária numa empresa de publicidade. Dona Martha, subsíndica do prédio em que morava, acertou com o porteiro fazer um “gato” para usar a internet do prédio sem que precisasse pagar a conta, uma economia de meio salário mínimo.

Quinta-feira: O senhor Robson Altamirano tornou-se comerciante no bairro do Brooklin, onde administra uma papelaria considerada a melhor da redondeza. Conseguiu montar dois esquemas em que tem dois tipos de notas fiscais para clientes que solicitam ou não a Nota Fiscal Paulista. Um deles, com a ajuda de um técnico, é acoplado à máquina registradora. O outro é na emissão de notas frias de um talonário que manda imprimir numa gráfica em Cotia.

Sexta-feira: Pedro é estudante universitário. Invariavelmente, a sexta à noite saía com amigos para uma cervejinha. Na última, já passada a meia-noite, foi surpreendido numa batida policial. Ligeiramente alcoolizado, lembrou-se do truque que aprendera com um dos colegas da faculdade: carregava sempre duas notas de cem reais junto aos documentos do carro. Não deu outra: o policial olhou para Pedro, olhou para o lado e, rápida e discretamente devolveu os documentos ao jovem. “O senhor pode ir embora”.

Domingo: Avenida Paulista, em frente ao Museu de Arte de São Paulo. Um grupo de pouco mais de quinhentas pessoas faz uma manifestação contra a corrupção no país. Cinco deles seguram uma faixa onde se lê: ABAIXO A CORRUPÇÃO NO GOVERNO. São eles exatamente a Dra. Henriqueta, o jornalista Reimilson, dona Martha, o comerciante Robson e o universitário Pedro.

E se combatêssemos também a hipocrisia, a ignorância e a má fé de milhares de cidadãos que repetem como papagaios muitas das mentiras espalhadas pela mídia venal e comprometida com o atraso?

Bom final de semana a todos

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Crônicas e textos pessoais, Informação, Notícias e política

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s