E vai começar… (Pt.2)

Bueno pessoal, aí vai a segunda parte da análise do Adrian Sutil:

ALEMANHA – No revezamento anual entre Nürburgring e Hockenheim, é a vez agora da pista de Baden-Wüttemberg. Legal! O Motodrom é único com aquele clima de estádio de futebol. Quando você chega e ouve a vibração dos torcedores, fica arrepiado. É assim que deve se sentir um craque depois de marcar um gol! A parte reformada, com uma longa curva à esquerda e um cotovelo, mostra como uma pista deve ser modernizada. O exemplo está , Silverstone!
HUNGRIA – O
circuito de Hungaroring é freqüentemente criticado como um chato circuito “Mickey Mouse”. Injustamente, na minha opinião. Eu gosto da pista, suas muitas curvas são um verdadeiro desafio. Como pilotamos sempre com muita asa, temos muita aderência aerodinâmica, mas no traçado ideal. O carro fica preso ao asfalto, uma sensação bem diferente das pistas de alta velocidade, onde você o sente muito pouco. Legal para os pilotos, nem tanto para os torcedores – a pista é tão estreita que prevalece umproibido ultrapassar”.
BÉLGICA – Spa faz
parte do patrimônio universal do automobilismo! Pilotar aqui é diversão ilimitada e garantida do primeiro ao último metro. Ao contrário das pistas artificiais dos últimos anos, aqui você pode realmente deixar o carro correr, tudo flui naturalmente e as curvas de alta são sensacionais. Todos sabem da Eau Rouge, masoutros pontos irados, como a dupla curva Pouhon, que você faz em sexta marcha. Um espetáculo que até mesmo os pilotos de Fórmula 1 raramente vivem.
ITÁLIA – Se o
barulho de um motor de Fórmula 1 é musica, então Monza é Heavy Metal. Selvagem, arcaico, alto. Malpara imaginar como martelamos as chicanes com brutalidade, você sempre com medo de estragar seu carro e seus ligamentos. O traçado é simples, “reta, chicane, reta, chicane”, mas aqui o desenho antiquado faz um charme todo especial. Ainda por cima há a atmosfera do parque, os torcedores loucos pela Ferrari, a antiga curva inclinada – Monza é genial!
CINGAPURA – O
Marina Bay Street Circuit é uma pista de verdade camuflada de circuito de ruaveloz, com cerca de cinco quilômetros de extensão, a volta parece que não quer terminar. É bem divertido! A incidência de luz para a corrida noturna não é problema. Difíceis são os implacáveis calor e umidade, você quase não consegue receber oxigênio fresco dentro do capacete. E também a adaptação ao horário para a corrida noturna: eu durmo até as 3 da tarde, o biorritmo fica alterado e você se sente sonolento o final de semana inteiro.
JAPÃO
Nãocomputador no mundo capaz de criar uma pista tão impressionante como esta. Suzuka é quase como um Nürburgring asiático. Praticamente todas as curvas têm um segredo diferente. A primeirapara ser feita de embaixo, mas você não consegue entrar na segunda. Depois vêm a seqüência de “esses”, na qual há uma variedade enorme de linhas para o piloto escolher. Suzuka é um “Best of” dos traçados. Quem pilotou aqui num videogame sabe o que eu estou falando.
CORÉIA DO
SUL – A corrida mais emocionante na Coréia deve acontecer antes mesmo do GP. Será que a pista em Yeongam vai ficar pronta a tempo? No papel o traçado parece relativamente rápido. Nos vamos pilotar ao longo de um porto, de onde os torcedores poderão assistir à corrida de seus barcos. Os boxes ficam no meio da cidade, Herrmann Tilke projetou um misto de circuito de rua e pista de verdade. Tudo soa como uma Valência do Orientemas eu espero muito que a pista seja mais divertida.
BRASIL
Para mim é o último ponto alto do ano. Na verdade, a final do campeonato deveria acontecer aqui. Os torcedores fazem barulho como se fosse o estádio do Maracanã e a pista é tão sensacional quanto. Ela sobe e desce como se fosse uma montanha-russa. E você fica o tempo inteiro matutando: para a parte mais sinuosa você precisa de colocar asa, para o longo trecho de embaixo que inclui a reta dos boxes precisa tirar. Tem que experimentar: “o quanto de asa aindapara diminuir?” Pelo menos aqui, a Fórmula 1 vira um esporte mental.
ABU DHABI – Uma
pista puramente para a TV, mais reluz do que brilha. O circuito de Yas Marina parece espetacular na telinha, mas dentro do carro é muito sem graçaaté o ponto em que pilotar um Fórmula 1 pode ser sem graça. Tudo é muito óbvio, sempre com as mesmas curvas. Para mim, fazem falta as curvas de alta e as passagens marcantes. Claro que é positivo o quanto estas novas pistas são seguras. Mas tenho que admitir, não tenho muito saco para pilotar nestas pistas certinhas como Abu Dhabi.

Bom final de semana a todos e boa corrida!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Passatempos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s