Ah sim, o Tomas Dutra Schmidt Cardoso

Hoje saiu em alguns jornais do Brasil que o nefasto FHC iria reconhecer um filho de 18 anos que teve com uma repórter da Globo.
Mas entrando, horas depois, no portal Terra, há uma coletiva em que este não iria reconhecer o rebento.
Transcrevo aqui artigo do blog "Os Amigos do Presidente Lula", depois eu complemento mais:

Filho escondido de FHC prova que imprensa é corrupta

Por que a imprensa não
repercutiu a extensa reportagem de capa da revista Caros Amigos em
2000, e repercute hoje uma nota pequena de uma colunista da Folha?

A imprensa diz que o filho fora do casamento de FHC não era noticiado porque era assunto privado…

Mas então por que deixou de ser privado hoje? Se não era notícia de interesse público antes, também não seria hoje.

Que interesse público é esse que apareceu subtamente depois de 18 anos, e todos os veículos que silenciaram passaram a publicar?

Notem bem, a imprensa, hoje, confessa que sabia por 18 anos que FHC
tinha e até reconhecia o filho, dá detalhes de visitas, etc. O fato
"novo" é apenas que resolveu OFICIALIZAR. Um ato em si sem qualquer
dimensão política, feito em um cartório de registro civil. Onde
apareceu o interesse público no assunto apenas neste ato?

Se não era notícia saber que FHC tinha e até reconhecia o filho antes,
nem quando era presidente, então por que é notícia oficializar hoje,
depois de 18 anos, justamente quando ele é ex-presidente em luta contra
o ostracismo?

É simples. Não é o interesse público da notícia que pauta a imprensa. Quem pautou o assunto na imprensa foi FHC.

Enquanto FHC quis o silêncio temendo afetar sua carreira política, a
imprensa silenciou, usando a desculpa da vida privada. Quando FHC
autorizou a publicar, todas as redações saíram em polvorosa noticiando
o assunto com 18 anos de atraso, que subitamente, passou a ser notícia,
ignorando a desculpa de que tratava-se da vida privada.

E por que um jornal ou TV é desonesto com seu leitor / telespectador
escondendo notícias (a razão de ser de seu negócio) da população?

Só um negócio melhor pode explicar: o preço do silêncio.

Tudo indica que o preço do silêncio foi os donos da imprensa receberem favorecimentos governamentais. O nome disso é corrupção.

Houve um acordo tácito de corrupção implícita para favorecer a imprensa em troca do silêncio.

MAU CÁRATER NA VIDA PRIVADA E NA PÚBLICA

O filho de FHC nasceu em 1991, quando ele era Senador. Nem sequer era
ministro, e seu eleitorado não era tão conservador. Fosse um homem de
melhor caráter, teria reconhecido oficialmente o filho naquela época.

Mas FHC tinha medo de escândalo que afetasse sua carreira politica,
afastando parte do eleitorado conservador. Então dane-se dar seu nome
de pai ao filho.

Quando FHC foi remanejado do ministério das Relações Exteriores de
Itamar Franco para o poderoso Ministério da Fazenda, tornou-se
presidenciável com o plano Real.

Candidato à presidência, sua biografia passava a ser do interesse
público, e uma imprensa honesta com o leitor / telespectador noticiaria
o fato como dado biográfico, sem sensacionalismo, mas jamais omitiria.

O pânico de FHC com o assunto vir a público, levou a uma relação tacitamente corrupta com os donos da imprensa.

Colocou todo o governo brasileiro sob seu comando na posição de refém:
os donos da imprensa tinham uma poderosa carta na manga para exigir de
FHC tudo o que queriam em troca do silêncio: isenção e alíquotos
menores de impostos para o setor, empréstimos privilegiados do BNDES,
da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil, renegociação vantajosa
de dívidas, verbas de anúncios governamentais além do necessário,
concessões e mais concessões, vista grossa com dívidas junto à
previdência e ao fisco, mudanças na legislação para privilegiar o
setor, mandar e desmandar no ministério das comunicações, serem
inseridos nos consórcios de privatização da telefonia com a benção dos
fundos de pensão controlados pelo governo e do BNDES (daí o noticiário
acrítico em relação a privatização das teles na época), etc.

A falta de coragem de FHC para enfrentar o assunto publicamente era
problema pessoal dele, da mãe e do filho, mas como governante refém dos
donos da imprensa, foi problema público de toda a população brasileira.
Para felicidade do bolso dos donos da imprensa e jornalistas
corrompidos.

——

Completando o raciocínio, seria bom fazer algumas investigações. Vocês acham que a Globo manteve essa nulidade de jornalista chamada Miriam Dutra, pagando suas contas na Europa, por nada? Quantas reportagens da Globo na Europa aparecia esta dita jornalista durante esses "anos de exílio"? Alguém sabe que os encontros entre Miriam e FHC se davam no apartamento que José Serra mantinha em Brasília quando era deputado? Por que uma outra jornalista que teve um filho com um senador teve mais repercussão do que a que teve com aquele que viria a ser presidente após o episódio da gravidez?
FHC já reconheceu o filho, os jornais informaram errado. Inclusive já está no seu testamento, para que, quando for para a terra dos pés juntos, seus filhos não briguem pela herança.
Mas duvido que isso mudará alguma coisa na postura dos meios de informação, tanto que o Fantástico, que está começando nesse instante, óbvio que não dirá nada…
Uma boa semana a todos e fiquem de olho no que tentam lhes fazerem acreditar.
Abs

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Crônicas e textos pessoais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s